Marketing Multinível Digital

Itália exporta para o Brasil mais de US$ 231 milhões em alimentos e bebidas em 2020

São Paulo 2/3/2021 –

O setor italiano de enogastronomia registrou crescimento de 1,06% no ano passado em relação a 2019 com as exportações para o país, informa a ITA – Italian Trade Agency

O resultado positivo de 2020 das exportações de alimentos e bebidas para o Brasil, mesmo em meio à pandemia, com o fechamento e restrição por longos períodos do funcionamento de bares e restaurantes (importante canal de distribuição de produtos italianos), tem como principal fator a mudança de comportamento dos consumidores.
“Identificamos que esse incremento se deve, sobretudo, ao isolamento causado pela pandemia de Covid-19, que forçou quem estava acostumado a consumir em restaurantes a fazer as refeições em casa”, explica Ferdinando Fiore, diretor para o Brasil da ITA – Italian Trade Agency.

Ele lembra ainda que, além desse público habituado a produtos mais selecionados, muitas pessoas que descobriram o prazer de aventurar-se na gastronomia investiram em itens de alta qualidade, já que cozinhar em casa passou a ser a alternativa mais segura para o enfrentamento da crise.

Em valores totais, as importações brasileiras de alimentos e bebidas provenientes da Itália somaram US$ 231.266,310, em 2020, alta de 1,06% ante 2019, que totalizou US$ 228.847,181.

Os alimentos Made in Italy mais importados pelo Brasil no ano passado foram massas (23,5 mil toneladas), tomates e molhos (21,4 mil toneladas), kiwi (11,2 mil toneladas), azeite de oliva (4,6 mil toneladas) e farinhas (4,4 mil toneladas). Outras importantes categorias incluem chocolate (2,9 mil toneladas), pães, doces e biscoitos (2,8 mil toneladas) e vinagres (912,3 mil litros).

Já entre os produtos que registraram maior crescimento das importações em valor, na comparação com 2019, figuram pães, doces e biscoitos, que somaram US$ 14.781.507, com aumento de 54,8%; presuntos e embutidos, US$ 1.667.747(31,4%); arroz e preparações para risoto, US$ 7.888.148 (28,9%); farinhas, US$ 2.913.592 (20,3%); azeites de oliva, US$ 19.667.608 (10,39%).

LEIA TAMBÉM:  Sete benefícios diretos para o profissional certificado Green Belt

Mas foram os vinhos, a bebida da pandemia, cujo consumo cresceu mais de 30% em 2020, a categoria que mais se destacou no import brasileiro proveniente do país europeu: foram importados da Itália US$ 36.023.547 em vinhos, valor equivalente a 11.170.700 litros. Vale destacar que os italianos são os maiores fornecedores do Brasil em termos de pães, doces e biscoitos, vinagres, massas, tomates e molhos e kiwis. Também figura entre as primeiras posições em categorias que incluem chocolates, farinhas, azeites, queijos, presuntos e embutidos, café, arrozes e, naturalmente vinhos.

ITA – Italian Trade Agency
É a agência do governo italiano com a missão de promover o intercâmbio comercial e tecnológico entre a Itália e os demais países, sobretudo no que tange às empresas de pequeno e médio porte, trabalho que realiza ininterruptamente há quase um século.
Com uma rede de 77 escritórios espalhados pelo mundo, garante apoio abrangente às empresas italianas que desejam atuar no exterior, por meio do fornecimento de informações econômicas, legais, fiscais e mercadológicas, bem como identificando parceiros e oportunidades de negócios e realizando um acurado plano de ações promocionais, que incluem os Pavilhões Oficiais Italianos em exposições.
www.saboresdaitalia.com.br
@ita.brasil

Voice Comunicação Institucional
Luciana Gonçalves Frei lucianagoncalves.voice@gmail.com
(11) 95134 9665

Website: http://www.saboresdaitalia.com.br

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.